quinta-feira, 27 de maio de 2010

bom som, tom

xx nao foram nada mal pois nao? uma maravilha! sobe só um bocadinho o volume

a aula magna é que é zé

que não tenho medo nenhum de nada

com a minha idade os meus pais tinham 3 filhos (eu andava para aí no 6ºano e o joão já devia saber a tabuada, mas não sabia).
eu, tu, nós, temos vidas diferentes, radicalmente diferentes. de tal forma que não sabemos, nem pensamos muito nisso, se vamos sequer algum dia ter, ou querer ter, o que se chama de família, no sentido clássico. não é por causa do dinheiro, que eles aliás nao tinham. é um sentimento difuso e misturado de vidas complicadas, amores cães, ausencia de vontade e acreditar.
não me vou arrepender disto. espero que tu também não.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

voltando à vaca fria

qualquer coisa que eu devia perceber

Cá dentro inquietação, inquietação
É só inquietação, inquietação

sexta-feira, 14 de maio de 2010

acho que o clero se devia debruçar mais sobre a problemática da masturbação do que sobre a pedofilia não acham?

este título é tão subtil, fino mesmo. reparai na velada sugestão para os senhores baterem umas pívias para ver se acalmam.

(atenção não tenho nada contra os padres em particular, nem contra deus em geral, conquanto o benfica porfie a vitória sempre, e amo jesus claro)

faz-me uma grande confusão as pessoas acreditarem num Deus

este blog tem andado bastante deserto derivado ao benfica principalmente, ao trabalho menos, e outras ocorrências, por exemplo o teclado avariado. o único facto digno de registo neste entretanto, tirando o papa ter passado aqui ao pé de casa, foi a máquina de café ter avariado. a este próposito ainda, bento meus amigos só houve um, o que usava o número um nas costas, um gigante entre os postes. justificado que está o passado (o benfica foi campeão e portanto caguei no mundo) fica o prognóstio para o futuro, 1. os impostos vão subir (esta é fácil), 2. o glorioso vai continuar o seu inexorável destino de vencer sempre (esta é facílima) 3. as ilhas vão continuar a ser ilhas, com a excepçãp pontual do baleal na maré baixa e daquela ilha na frança que não sei o nome mas tem um castelo ou um farol ou uma merda do género.

peço desculpa por ter tomado o tempo de lerem isto, estariam muito melhor a ler os posts do dr pedro santana lopes, que aiás me recuso a linkar.
passar bem

sexta-feira, 12 de março de 2010

as melhores bandas são as de covers quem não sabe isto é grunho

preciso de inimigos novos, já derrotei os antigos...

cuspir na sopa reloaded

um gajo que me roubou os sapatos e depois queixou-se que a sola estava gasta

segunda-feira, 8 de março de 2010

dia da mulher

a única diferença entre homem e mulher é que com mulher gosto de fazer sexo e com homem não sei desconfio que não.
todas as outras coisas/diferenças já ouvi falar mas não acredito.
prontos basicamente é isto

terça-feira, 2 de março de 2010

facebook ou encurtar distâncias

o facebook é uma viela onde de repente se encontra gente que preferias que fosse morrer* longe

(*morrer ou viver)

feliz é quando a folha não está escrita

estive horas a discutir temas extremamente interessantes, infelizmente não retive nada porque tenho o cérebro programado para ser feliz. feliz é o vazio

Continuação (seixos)

e se houvesse se calhar atirava-lhe com um

Altar do Papa em Lisboa inspirado nos seixos do Tejo

O designer Jorge Assis olhou para os seixos do rio Tejo, partiu um deles a meio e surgiu a cobertura do altar da missa que o Papa Bento XVI celebrará em Lisboa...
(Publico-hoje)

ONDE É QUE ESTE GAJO DESCOBRIU SEIXOS NO TEJO ?!
NÃO HÁ SEIXOS NO TEJO FODA-SE!
ESTAS MERDAS IRRITA-ME CÁ DUMA MANEIRA!!!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

dias feriados 22 do 2

hoje em tuvalu é o dia nacional das pessoas que foram embora há muito tempo mas que deviam ter ido há mais tempo ainda.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

maior que eu e tu. que e tu e todos juntos. o herói que nunca seremos


não se ama desconhecidos felizmente conheço-o desde puto a ver na tv aquele momento.
faz hoje 20 anos que foi libertado.

agente não sabe o que é a liberdade pois não?

em todas as tvs hoje os comentadores opinavam sobre a falta de liberdade expressão. há aqui qualquer coisa na realidade comentada que não faz lá muito sentido...

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

o outro blog era muito melhor. eu não.

Fuck Sundays - um dia na vida duma espécie de mujahedin
13h30
Ao terceiro telefonema lá acordo e atendo. Almoço de família em casa dos meus avós, é melhor despachar-me.
13h35
Pequeno almoço – tudo o que estava á vista, arroz de pato, pasteis de nata e coca-cola, a cabeça ameaça implodir.
15h00
Lá consigo chegar, fui o último mas por pouco, os outros também estavam com ar de ressaca, ambiente porreiro. A minha avò pela segunda vez consecutiva não pergunta pela Cristina, a cena parece resolvida, ao menos na cabeça de dela. Em rigor não pergunta por ninguém, está lá no seu mundo de referências cruzadas chamemos-lhe assim.
18h00
A caminho de Lisboa o Porto mete um golo ao Setúbal... o dia está a começar a acabar mal
18h30
Sax alto, escalas, arpejos e improviso
20h00
Jantar e cinema...O gajo diz
I´m the coolest motherfucker who ever lived.
É a frase perfeita.

Fuck mondays

há coisas que me deixam praticamente sem aliados, nomeadamente...


este album

a Asia é longe como o caralho

era só isso. depois desenvolvo. vai sair uma história boa pá.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

diário económico

a vida faz-me lembrar as previsões económicas, que variam desde a felicidade absoluta até ao completo caos e desgraça, basta mudar de economista. também tem a coincidência de falharem sempre, o que chateia bastante quando o modelo que se usa previu a tal da felicidade, essa quimera.
existe toda a sorte de vidas mas não se escolhe uma, ou escolhe?

sábado, 23 de janeiro de 2010

feliz aniversário pá.


já são alguns anos a queimar borracha

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

jánãosouquemera

entre (por exemplo) o patrick swayze e eu prefiro-me. em todo o caso gostava de ter sido steve mcqueen com todas as possibilidades a isso associadas, nomeadamente o porsche metalizado, no tempo em que tal coisa era realmente cool. este que asssina, eu (get a life)

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

LIVRO DE ESTILO DO PLATEAU-EFFECT

tenho imensa vergonha desta merda toda, e lamento ter dito alguma vez a alguém que eu sou eu que escrevo isto

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

mais um dia importante

hoje o Estado Português legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo
daqui a uns anos todos vão entender que a discriminação não tem lugar aqui, até lá deu-se um passo importante. parabéns a quem lutou. obrigado a quem lutou. porque também para mim isto é importante.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

gostava de te ter conhecido melhor. tarde demais

estava agarrado a um calhau numa escarpa vertical, a única saída era para baixo. obviamente acordei. eram 7h30, deitei-me às 3h00. devia ter percebido o que ia acontecer a seguir.

ao contrário das minhas melhores previsões o mundo hoje (mais uma vez) teimou em não acabar

"
O caetano veloso nunca foi cantor, tem uma voz muito fraca, sua sorte é ser protegido da Globo, e é metido a intelectual, a maioria do povo sabe disto, cantor é o Nelson Gonçalves, Agnaldo Timóteo, Agnaldo Rayol, Moacir Franco, Cauby Peixoto e Angela Maria.
"
comentário no youtube

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

este lugar habitado por perigosos libertinos

se me contassem não acreditava, mas juro que ouvi hoje alguém na tsf a dizer que o casamento não tem como fundamento a procriação mas sim o amor! por causa do casamento de pessoas do mesmo sexo!

O amor? mas que ideia tão libertina... essagora!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

comentário

acabaram-se os comentários. sim, posso ser filho da puta, impotente, suicida, comuna e fascista ao mesmo tempo. o que queiram. mas não me apetece continuar a censurar essas merdas.
esquisito como 99,9% dos comentários (que nem aparecem) são de pura raiva. acabou-se.

Rita, não sei de imagem que o amor não persiga

Não sei de imagem
que o tempo não destrua
não sei de ti
se atravessas a rua
vem ter comigo
sempre que for preciso
fala com a voz
fala com o choro
fala com o riso
diz o que é preciso

Viva quem vive
com a cabeça aperrada
e dispara bala
contra o medo apontado
viva quem luta
com a cabeça ao contrário
p´ra ver também
um pouco do lado do adversário
do lado contrário

E viva o dia
em que já não precisas
de reis nem gurus em frases-chave nem divisas
o dia
em que já não precisas
de reis nem papás
nem profetas nem profetisas

Ei,ei que é do rei
o rei foi-se, o rei vai nu
ei, ei, viva eu, viva tu

Não sei de imagem
que o amor não persiga
não sei de ti
se não fores minha amiga
faz o que queres
que se queres é preciso
faz o melhor
fá-lo com loucura
e com juízo
faz o que é preciso

Viva quem muda
sem ter medo do escuro
o desconhecido
é o irmão do futuro
viva quem ama
com o coração aos saltos
e mesmo assim vence
os seus altos e baixos
e os altos dos seus sobressaltos

E viva o dia
em que já não precisas
de reis nem gurus
nem frases-chave nem divisas
o dia
em que já não precisas
de reis nem papás
nem profetas nem profetisas

Ei, ei que é do rei
o rei foi-se, o rei vai nu
ei, ei, viva eu, viva tu

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

porque não tenho escrito nada, aqui fica um testemunho muito pessoal

esta merda até corre bastante bem, atendendo às circunstâncias
nomeadamente acho uma vergonha o preço do vinho no extra, um roubo!

poder de encaixe

vem aí o natal. vai-te foder

feliz natal

se como eu pertences à maioria silenciosa que usa sabonete líquido no duche repara bem nisto, mas antes uma confissão, agente usa a coisa para dar menos trabalho, o mesmo é dizer esfregar menos, fica menos limpo não é? mas adiante, faz talvez us 100 anos que uso aquele sabonete da johnson, o grande, alguém se lembra de a coisa vir sem os 50% grátis? já me ocorreu inclusivamente perguntar à menina da caixa se tinha a embalagem sem promoção, para experimentar a diferença. outra coisa que me faz confusão no natal, desde que ouvi dizer que os iogurtes podem ser repasteurizados ou lá o que é, são os iogurtes do pingo doce, os naturais claro, nunca se deve comprar iogurtes com sabor, são nojentos (todos). dizia eu, aqueles iogurtes têm uma consistência suspeita (mamas de silicone é assim o mais suspeito que me lembro para comparação).
o meu pai fez hoje 60 anos

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

isto pode parecer (e é) uma rematada estupidez

fico emocionalmente esgotado quando a puta da águia sai mesmo por trás de mim e voa sobre a catedral. os romanos inventaram o pão e circo, sabiam o que faziam os gajos.

se queres uma moral vai ler o la fontaine

"A mesma fonte recorda uma mulher que aos 72 anos matou o marido à paulada, na zona de Santarém. Estava cansada de ser vítima de violência doméstica.

Assim que a PJ a deixou nos calabouços da PSP, a idosa - que nunca ofereceu resistência - fez questão de se despedir do inspector com dois beijos na face."

terça-feira, 20 de outubro de 2009

tv cabo

tenho andado incrivelmente e durante horas dias e dias, consumido pelos inúmeros canais do cabo. não há melhor nem mais rápida forma de gastar o tempo, arranjar uma espécie de depressão, devidamente salteada com uma puta duma modorra que infecta o organismo todo.
vai sendo dia de dar-me um chuto no cu. quase ando com vergonha. uma espécia de falta de higiene mental.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

eleições parte II - PS

o PS tem um problema crónico ligado à sua base social de apoio, a classe média, com grande peso do pessoal que trabalho no Estado.
tal como o BE, acha que a defesa dos desprotegidos, é a defesa dos professores, dos trabalhadores das autarquias etc, um dia vão perceber que esses são os protegidos...
este governo tentou mexer nas regras na educação, saúde e teve a luta dessas classes. bom, e se calhar é por aí que se vai lixar...
mais um governo e mais uns anos passaram, a justiça e os tribunais parecem continuar a mesma merda. e isso basta para não ter sido positivo.

eleições parte I - PSD

se o PSD perder as eleições,é provável que a posição relativamente a temas como casamento entre pessoas do mesmo género, lei do divórcio, testamento vital, eutanásia, aborto, etc, seja a oposta da que é hoje.

a razão é simples, pelo posicionamento pouco fixo nestes 30 anos, tanto-lhes pode calhar um chefe que é uma ilha de conservadorismo como um liberal no verdadeiro sentido do termo. e passa de partido conservador a partido liberal num instante.

isto tudo porquê? não sei bem, mas enquanto lá estiver aquela senhora que acha que o casamento é para procriar, eu não só não não sei, como não me interessa...

quanto à política do dia a dia, à economia e etc, não acredito na senhora nem por um segundo, lembro-me bem da Ministra das Finanças, é a mesma pessoa?!

o psd que esteve para entrar na Internacional Socialista, mas que foi subrepticiamente contra a entrada de Portugal na UE. o psd é o que lhe dá jeito em cada dia

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Predestinados como o Maradona sou eu

Como é que é possível que um tipo, que não se lembra de alguma vez ter ido a Alfeizerão, faça o respectivo pão-de-ló sem vergonha nem embaraço ein?
Tarefa só para iluminados. A localidade fica para os lados de São Martinho do Porto e seguramente vive com excesso de galinhas.

tédio
tédio
tédio

ÚLTIMA HORA!!!!!!!!!!!

interrompemos a emissão para informar que a "Miss Brasil 2009 expressou também o desejo de ver o momento em que a pobreza e as desigualdades sociais serão erradicadas do mundo."
in diario digital

tédio
tédio
tédio

quarta-feira, 29 de julho de 2009

não há um liberal em Portugal

prestes a fazer uma dissertação sobre os blocos políticos em Portugal, a direita que é toda conservadora e conservada em formol, a esquerda que só defende os que já estão defendidos e etc...

mas não.

acabei de misturar lombos de pescada com presunto e meti a cena no forno.
estou portanto naturalmente em pânico e sem qualquer discernimento.

que se foda a política, isto ainda acaba no galeto.

terça-feira, 28 de julho de 2009

eu vou tomar aquele velho navio e comprar um pacemaker

my brother, não tem aparecido aqui nada escrito, e não tem que agradecer o tempo ganho a não estar a ler isto.
abre-se só uma excepção para dizer presente.
mas presente indiferente, dormente

(pacemaker em tradução literal é para marcar o passo, como quem marca o ritmo, são aqueles gajos no deserto que têm de andar só para não parar, adormecer, morrer)

quarta-feira, 3 de junho de 2009

terça-feira, 19 de maio de 2009

é muito redutor dividir as pessoas em grupos?

há quem só queira um porto de abrigo, um qualquer. há quem fuja de ter pé. há todas as cores no meio também. há os outros.

tudo vai ser diferente, isto vai ser irreconhecível, como hoje é, visto de ontem

http://www.wolframalpha.com/

Ele há causas que me causam cá uma impressão...

Há uns dias umas centenas de milhares de pessoas foram com a imagem da NSFátima até ao Cristo-Rei celebrar os 50 anos da estátua.
Segundo parece, o Cristo-Rei foi construído para agradecer ao Senhor por não termos entrado na 2ª Guerra (não sei bem se ao Senhor no céu se ao das botas).

É bom lembrar o século passado, as guerras em que entrámos,
- na Primeira Guerra Mundial fomos lá porque um senhor matou um arquiduque e os imperialismos europeus estavam no auge,
- na do Ultramar já toda a África era independente, nós ainda andávamos a carpir o nosso Império e a combater contra os de lá
- a da Índia não chegou a acontecer, mas vontade não faltou ao senhor das botas.

A única em que não entrámos, e até fomos dúplices, foi a 2ª Grande Guerra, contra um tirano maníaco que queria exterminar uns povos e subjugar todos os outros. Se calhar a única guerra que eu nunca hesitaria travar.

Enfim, a Igreja e o regime decidiram agradecer esta postura perante a guerra, perante as guerras, num século em que não fomos um exemplo para ninguém...

Estas coisas do Salazar e do Cerejeira e de Fátima e estes cozinhados todos fazem cá uma confusão!

segunda-feira, 18 de maio de 2009

como os olhos de um bandido *

existe uma lógica nas probabilidades (e na vida) que não sei o nome, mas pode ser por exemplo, invariância. essa lei tanto dá para prever resultados do futebol como para perceber que amanhã o dia em princípio vai ser igual a hoje. o resto são raros acidentes, singularidades estatísticas.
enfim , para dizer que convém que hoje tenha corrido bem.


* esta frase é do Caetano, claro

profilaxia

confesso, sou hipocondríaco.
todos os dias faço a profilaxia da malária...

quarta-feira, 13 de maio de 2009

saltam memórias por coisa nenhuma



Estava este som a passar aqui e veio-me uma saudade do Mindelo. não sei bem porquê, porque sim. nha crecheu.

generalizações, bela vista e outras merdas

Uma dúvida anda a assaltar-me (salvo seja). Quantos bandidecos têm de viver num bairro para se decretar publicamente que o bairro é só malandragem? basta 5% dos habitantes? ou será 10%? 20%? 50%?
Os não-bandidos, que passam a viver num bairro sitiado pela polícia, têm direito a queixar-se a alguém? As pessoas perdem direitos "civis" porque lá no bairro uma malta andou na bandidagem?
Já tive um dia contacto amistoso com aqueles senhores do Corpo de Intervenção, e fico arrepiado de pensar neles todos os dias a cercar o meu prédio.
Ninguém se indigna que, ao invés de haver trabalho de investigação criminal e captura de criminosos, se decrete uma espécie de estado de sítio que não resolve nada, só descrimina.
E que tal fazer um trabalho sério e prender os bandidos, em vez destas merdas?
Quanto aos senhores do Corpo de Intervenção, do que já vi, são o contrário do que uma polícia deve ser. Implicam com quem passa, provocam de forma gratuita, são mal educados e agressivos. Onde chegam parece que a coisa se transforma numa espécie de faixa de Gaza, onde ninguém se livra de arranjar chatices só porque está no sítio errado à hora errada.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

crítica literária

Em estando vivo acho que o Phillip Roth é capaz de ser o melhor escritor vivo. Em estando morto, não fosse o Cervantes...
Escrevo com a autoridade de quem hoje vai acabar de ler o primeiro livro dele, e que nos últimos 15 anos leu muito pouco, e quase só merdas sem interesse nenhum, de tal forma que nem sei bem o que ando a ler, desde os 17 anitos.
espero ter convencido com a força dos argumentos. eu cá fiquei.
de qualquer modo esta opinião varia conforme o que ando a ler, que é para isso que eles servem, para nos moldar de calhaus em lindas lanças com que matamos os fantasmas. ou então tudo ao contrário.

o estilo é que me fode. que o conteúdo nunca existiu.

havia um qualquer gajo que dizia, para escrever um bom texto é preciso tirar tudo o que está a mais. a minha técnica é outra, deixo só meia dúzia de palavras a mais, de maneiras que dê um post.

esta insatisfação

o Variações é o primeiro cabeleireiro filósofo músico poeta que sabia realmente dançar, acho até que sei onde o Michael Stipe foi buscar o swing

Paulo Pena, provérbios por atacado

a verdade é que as pessoas levam bastante a mal quando se lhes diz a verdade

se os provérbios tivessem corolário:
hoje disse a verdade e fodi-me
se os corolários dos provérbios tivessem corolários:
hoje mentiram-me, fodi-me
se os corolários dos corolários dos provérbios tivessem corolários:
a verdade não existe, fodi-me

campeões, não fugindo ao assunto...


se repararem no equipamento do benfica, por cima do símbolo aparecem 3 estrelas douradas, pouca gente sabe o que quer dizer, penso que não há muitos clubes no mundo com essas estrelas. entretanto espero que se tenham divertido a festejar à chuva.

sábado, 9 de maio de 2009

Paulo Pena, fabricante de provérbios

demasiadas vezes o cântaro não foi à fonte
Aqui, onde os homens se sentam

a ouvir mútuos queixumes;

Onde a decadência agita um resto


de cabelos tristes e grisalhos


Onde a juventude se faz pálida, fina


como a sombra, e morre;


Onde o simples pensar já é sofrer...


John Keats
Ode a um rouxinol

sexta-feira, 8 de maio de 2009

introducing Paulo Pena, fabricante de provérbios

um barco não vai ao fundo duas vezes

quarta-feira, 29 de abril de 2009

vende-se algoritmo para ser feliz

quem quiser ser feliz, mesmo feliz, não acredite em banhas da cobra, ser feliz é caro, muito caro. mas até 1 de Maio por um preço especial vendo uma fórmula milenar, desenvolvida pelas gajas que viviam na ilha dos amores. quem quiser basta transferir 500.000 € para a minha conta, e na volta do correio recebe o segredo.
e não tem de ler livros, aliás, é melhor nem ler livros. vou aliás escrever um livro a explicar que ler livros não é bom para a felicidade. aliás os livros alteram o próprio conceito de felicidade. aliás, comprem o meu livro que vai lá estar tudo explicado, mas é segredo. o livro sai brevemente, é só o tempo de o escrever.

30 e tal anos de sabedoria

não existe nada consequência para cada acto, é mentira.
as consequências é como se as casas de banho dos aviões não tivessem reservatório, é merda que cai do céu, de forma aleatória.

De quem é o carvalhal? É nosso!

sol no fds porra! senão ainda faço uma revolução!

foi bom

tinha-me esquecido de opinar sobre o concerto do david byrne. já está.

eu sou oliveira por graça do Senhor

aproxima-se o 13 de Maio, em que a Senhora se pôs em cima de uma azinheira

crónica do porque será

gostava mesmo de escrever uma espécie de crónica divertida, jovial e ao mesmo tempo profunda de conteúdo sobre o quotidiano, o dia a dia.
mas mesmo que o jeito estivesse lá o quotidiano hoje foi uma merda, um dia sem sinal de vida. uma merda desinteressante. como é que se chama o cão do obama mesmo?

um problema no roupeiro

a pensar deitar fora velhos maus habitos e arranjar novos maus hábitos

domingo, 26 de abril de 2009

25 de abril

não há como ouvir histórias na primeira pessoa do que se passava cá, antes do 25 de abril, para um gajo se sentir um anão. e para se sentir grato aos que bateram o pé, levaram nos cornos, foram presos, moeram a cabeça ao regime, e aos que o derrubaram
convém nao esquecer os filhos da puta que aqui mandaram tantos anos.
e o que correu mal, é culpa nossa, de todos, que isto agora é uma democracia.
não há cá um botas iluminado que nos diz para onde ir e nos solta os cães se gritamos alto.

um herói é um herói é um herói

se não fosse este gajo e outros, a esta hora provavelmente estava a comer porrada em vez de estar a beber uma cerveja e a escrever merdas por aqui. 25 de abril sempre.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

dois dias

uma vez passei dois dias numa casa isolada no delta, ali pelo tigre. sozinho e/mas com um gajo amigo. chamava-se beixa-flor, deve ser assim que os sul-americanos que falam castelhano dizem beija, não estou seguro, esqueci-me de perguntar. éramos mesmo sozinhos, não havia mais hóspedes, a praia era de areia e tinha o tamanho de uma pequena-área, mas sem baliza. a ideia também não era marcar golos. li o rayuela, que por acaso se lê rachuela, do cortazar.

terça-feira, 21 de abril de 2009

falta-me um dente

despenteado, cansado
porque é que acordo inchado?
vazio, submisso
porque é que teimo nisso?
sem força, absorto
acordo outra vez morto
na luta despida
outra guerra perdida?
no mundo
encontra-se sempre o fundo

quase adulto, quase enxuto, quase morto, quase doutro

(um exercício chamado: foda-se não tenho medo de rimar, mas não volto a tentar)

segunda-feira, 20 de abril de 2009

a semente estava lá, foi só regar

há-de chegar a hora em que vai ter de se reconhecer o direito à existência de bombistas emocionais, depois de muitas teorias e terapias, explicações e recriminações.
a desformatação dos modos de viver tem como contra a dor, como vantagem a estupida liberdade de se estragar sempre sempre tudo. de qualquer modo o determinismo da história vai-nos levar a esse futuro, que é assim como se vivessemos por exemplo na Holanda ou outro sítio de costumes liberais e muito poucas regras.

ninguém sabe porque é como é, mas eu por acaso tenho as minhas supeitas.

a musica é do cohen, em homenagem à janis joplin, passa-se no CHELSEA HOTEL, também por lá passei há umas semanas, mas não tenho muito a dizer em relação a isso. este post é sobre o facto de ser mesmo muito difícil, tão difícil que não dá para verbalizar.

espero ter sido claro


Hoje no Público, by Pedro Magalhães.

«Eram sete horas da manhã do dia 17 de Fevereiro de 2003 quando ocorreu uma mudança histórica na cidade de Londres. A partir desse momento, todos os veículos que quisessem circular ou estacionar no centro da cidade durante os dias de semana passaram a pagar uma “taxa de congestão”, que é hoje de oito libras (nove euros). Os residentes têm direito a um desconto de 90 por cento e estão isentos de pagar a taxa se estacionarem em garagens ou zonas designadas. Veículos com baixas emissões de CO2, de emergência ou usados por deficientes, transportes colectivos, assim como motos e bicicletas estão também isentos. O cumprimento destas regras é aferido através de câmaras que identificam automaticamente as matrículas, que são diariamente confrontadas com o registo dos pagamentos feitos.

Quais os efeitos deste medida? Num artigo de Outubro de 2006 do Journal of Economic Perspectives, Jonathan Leape resume as conclusões dos estudos existentes. O número de veículos privados que circulam na zona central baixou em 30 por cento. Mais de metade dos indivíduos que deixaram de usar o carro para entrar na zona central passaram a usar transportes públicos. [...]

Estocolmo é ainda melhor exemplo de uma capital europeia que introduziu um esquema deste tipo, protegendo uma área central de 30 km2. Foi em Agosto de 2007, precedido de um período experimental na primeira metade de 2006, ao qual se seguiu um referendo local. As formas de pagamento são bastante mais fáceis que em Londres e incluem um sistema tipo “via verde”. Em Março passado, a revista Transportation Research dedicou um número inteiro ao assunto. Conclusões? Efeitos iguais ou maiores que em Londres: diminuição do tráfego e do tempo de viagem; ausência de efeitos negativos no comércio; transferência de viajantes para transportes públicos; ausência de efeitos regressivos ou progressivos em termos de equidade na distribuição dos custos; e redução de acidentes, poluição e custos de manutenção da via pública. [...]

Eu sei que votar numa eleição não é fácil e há muita coisa a considerar. Mas espero que os mais de 500.000 eleitores que podem votar nas autárquicas em Lisboa aceitem deste seu concidadão um critério que simplificará muito a nossa decisão. Irão dizer-vos que a rede de transportes públicos em Lisboa não permite que se impeça a entrada de carros. Mas vocês sabem, como eu, que isso não é verdade. Vocês vêem, como eu, autocarros vazios em hora de ponta, parados por detrás de um mar de carros nos eixos centrais por onde se passa quando se entra e sai de Lisboa. É preciso melhorar? Sim, e irão dizer-vos que não há dinheiro. [...]

Vão também dizer-vos que aqueles que vêm para a cidade não têm bons meios para cá chegar sem ser o carro particular. Mas mesmo que isso fosse inteiramente verdade — e vocês sabem bem que não é —, pensem de quem será a responsabilidade, e como o actual estado de coisas desresponsabiliza as câmaras dos concelhos limítrofes de melhorarem os transportes públicos nos seus próprios municípios e os governos de investirem em melhores maneiras de chegar à nossa cidade. Pensem nos custos — em tempo, produtividade, saúde, segurança, vida familiar, conforto — que todos pagamos pelo actual estado de coisas. Vocês sabem tão bem como eu que muitos dos candidatos que temos tido à Câmara de Lisboa a vêem como mero degrau para outros cargos políticos e que, por isso, têm medo de hostilizar o eleitorado dos concelhos vizinhos. Mas isso tem sido um problema nosso que, felizmente, a democracia ajuda a que possamos fazer com que seja apenas um problema deles. É simples: candidato que não proponha uma maneira séria e radical de impedir a entrada de carros na nossa cidade não merece um único dos nossos votos. Vamos fazer essa experiência? Vão ver que funciona.»

segunda-feira, 13 de abril de 2009

curiosa coisa

os portugueses dizem "pôe-te na minha pele"
enquanto os ingleses dizem "walking on my shoes".
consequências? não sei... ficamos com pele mais flácida?
eles com pé de atleta?

vinho escuro

a noite passada andava alguém de cuecas e meias no escuro, às cabeçadas nas paredes em minha casa. os auscultadores gritavam "I'm coming up on infrared, there is no running that can hide you, Cause I can see in the dark. I'm coming up on infrared, forget your running, I will find you."
em princípio não estava ali mais ninguém, pelo menos não encontrei, mas não se pode garantir, era escuro como bréu.
a liberdade é sempre um assunto com importância, a liberdade também é estas cenas. as meias no entanto roubaram-lhe a dignidade. o vinho era bastante bom.

sábado, 11 de abril de 2009

Iowa’s Family Values - aconselha-se a leitura completa

crónica do NYT - STEVEN W. THRASHER
.
"IF it weren’t for Iowa, my family may never have existed, and this gay, biracial New Yorker might never have been born.
In 1958, when my mother, who was white, and father, who was black, wanted to get married in Nebraska, it was illegal for them to wed. So they decided to go next door to Iowa, a state that was progressive enough to allow interracial marriage. My mom’s brother tried to have the Nebraska state police bar her from leaving the state so she couldn’t marry my dad, which was only the latest legal indignity she had endured. She had been arrested on my parents’ first date, accused of prostitution. (The conventional thought of the time being: Why else would a white woman be seen with a black man?)
On their wedding day, somehow, my parents made it out of Nebraska without getting arrested again, and were wed in Council Bluffs, Iowa, on March 1, 1958. This was five years before Nebraska would strike down its laws against interracial marriage, and almost a decade before the Supreme Court would outlaw miscegenation laws throughout the country in Loving v. Virginia.
When the good state of Iowa conferred the dignity of civic recognition on my parents’ relationship — a relationship some members of their own families thought was deviant and immoral, that the civil authorities of Nebraska had tried to destroy, and that even some of my mom’s college-educated friends believed would produce children striped like zebras — our family began. And by the time my father died, their interracial marriage was seen just as a marriage, and an admirable 45-year one at that.
That I almost cried last week upon reading that the Iowa Supreme Court overturned the state law banning same-sex marriage will therefore come as no surprise. I’m still struck by one thought: over the years, I’ve met so many gay émigrés who felt it was unsafe to be gay in so-called flyover country and fled for the East and West coasts. But as a gay man, I can’t marry in “liberal” New York, where I’m a resident, or in “liberal” California, where I was born, and very soon I will have that right in “conservative” Iowa.
Of course, the desire to define relational rights and responsibilities with a partner, to have access to the protection that this kind of commitment affords, is rather conservative. But it’s a conservative dream that should be offered to all Americans. Though it takes great courage for gays to marry in a handful of states now, one hopes that someday, throughout the nation, gay marriages, like my parents’ union, will just be seen as marriages.
It’s safe to say that neither the dramas of our family, nor its triumphs, could have been possible without the simultaneously radical and conservative occasion of my parents’ civil marriage in Iowa. And so when the time comes, I hope to be married at the City Hall in Council Bluffs, in the state that not only supports my civil rights now, but which supported my parents’ so many years ago.
Steven W. Thrasher is a writer and media producer. "

quarta-feira, 8 de abril de 2009

tenho esta ideia que para escrever bem é preciso ser muito sofredor e portanto...

ando a evitar zelosamente qualquer coisa que seja minimamente decente. mais do que uma bela merda já é arriscar a felicidade por umas palavras bem arrumadas

um gajo prematuro

ainda antes de escrever algo de jeito deu-lhe o bloqueio do escritor. era um gajo à frente do seu tempo.
(é quase como que um pedido de desculpa a quem aqui passe)

somos uns românticos do caralho



"The pornography industry is larger than the revenues of the top technology companies combined: Microsoft, Google, Amazon, eBay, Yahoo!, Apple, Netflix and EarthLink"



terça-feira, 7 de abril de 2009

crise

estava de olhos fechados a pensar que a base alimentar da maioria da população mundial é o arroz, a tentar imaginar todo o arroz do mundo junto quando, sem avisar, apareceste toda nua. claro que o arroz desapareceu todo.
e assim começa uma crise alimentar

estava de olhos fechados a pensar que a as pessoas têm todo o dinheiro nos bancos, a tentar imaginar todo o dinheiro do mundo junto quando, sem avisar, apareceste toda nua. claro que o dinheiro desapareceu todo.
e assim começa uma crise financeira

estava de olhos fechados a pensar que todos temos de acreditar nos fornecedores, nos nossos clientes, que é tudo gente séria, quando sem avisar, apareceste toda nua. claro que a confiança desapareceu toda.
e assim começa uma crise de confiança

estou a tentar pensar onde se compra roupa de gaja nos sonhos, antes de pensar no problema do aquecimento global. ainda morremos todos gelados.

medidas contra a crise - about politics

enfim, em primeiro é preciso tomates para enfrentar a crise.
por via das dúvidas decidi plantar uns tomateiros no jardim.
também a escassez de outros produtos frescos me há-de levar a continuar a saga agrícola, mas por agora, efizélias, um projecto de maracujá e medronhos para a aguardente.
só falta a carne e o leite, estou a pensar numa cabra.
depois podem fechar os bancos e esta merda toda.
está tudo convidado para uma festa rija nesse dia do apocalipse.

terça-feira, 31 de março de 2009

agenda pós-moderna

nota mental na agenda:
deixa-te de merdas e gasta o tempo a fazer as tuas coisas. pensas que vais a algum lado a correr dessa maneira? e se fores, o que fazes quando lá chegares? metes o dinheiro no banco e vives com o extracto? o extracto dá beijinhos é?

sabes?

sabes aquela cena que tu achavas mesmo mesmo impossível?

a luz que se foi

take me anywhere i don´t care



if a ten ton truck kills the both of us

sexta-feira, 27 de março de 2009

Rambo

O dia estava a acabar, estava a acontecer aquele altura indefinida no tempo, o chamado lusco fusco, em que os gatos já assomam nos muros mas ainda não são pardos. A hora da caça estava prestes a começar, as vítimas sentiam o aproximar do perigo. O espelho mesmo em frente, o penso enorme no peito a indicar o local onde se ocultava o tema deste post.

Lembrei-me do John Rambo, quando conseguiu fugir da masmorra perdida no Afeganistão, a desinfectar o buraco da bala com pólvora tirada de um cartucho, o fogo e fumo a sair do corpo. Lembrei-me dos filmes de guerra, onde há sempre um enfermeiro com morfina por perto, no meio do clamor dos canhões.

Havia um cheiro a ferida no ar, um odor inconfundível, só tinha o sangue-frio e a força dos tenazes, a coragem dos audazes. Respirei fundo e arranquei o penso, por trás um espectáculo inconfundível de sangue, linhas a atravessar a carne, a pele e o músculo, uma cor escura no centro da catástrofe anunciada. Não tinha pólvora à mão, nem morfina nem nada… peguei num cotonete e em betadine e tratei do assunto.

Enfim são dois pontos, uma ferida milimétrica, sou gajo para desmaiar se me cortar num dedo…

quarta-feira, 25 de março de 2009

bird lives

faz uns dias que se celebrou a morte do chalie parker, um tipo que tocava como nunca mais ninguém conseguiu.
pouco depois de ele morrer começaram a aparecer inscrições nas paredes do Harlem..."Bird Lives".
o ultimo sax que ouvi foi num bar ali perto (não era muito bom o som), estava cravado de fotos do mito.

há uns tempos perguntei ao meu prof de sax se não devia comprar um instrumento melhor, ele contou-me que o charlie parker passava o tempo a usar um qualquer instrumento emprestado (e dele tinha sido trocado por heroína ou alcóol). fiquei arrumado com o argumento.

enfim, gosto de ouvir o gajo. o mito e a história da vida dele.

segunda-feira, 23 de março de 2009

as horas

depois de quase 24 horas entre vôos e escalas, sem quase nada para aproveitar o tempo, que foi todo morto, reparei que nem sequer aproveitei para pensar na vida e tal. estava distraído. conclui-se então que ele há dias de muita sorte!

princesas, touros e outras figuras mitológicas

ontem no air shuttle (é assim que se chama o autocarro da carris que passa na Portela, um nome bastante fino como merecem os bifes) um francês explicava à sua princesa que aquilo era um palácio.

aquilo era a praça de touros do campo pequeno, não fui capaz de o corrigir, as consequências podiam ser dramáticas.
confundir casa de princesas com casa de gado bravo podia lixar um fim de semana romântico logo na primeira hora.

e lá foram felizes os dois em direcção a outros palácios e ruínas desta cidade luminosa e boa para se fazer o tal do amor, nos curros dum palácio ou no quarto duma pensão. Mas essa parte já não consegui descobrir, porque a minha paragem era antes do saldanha.

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

hei-de ir ao teu encontro mas armado até aos dentes, para te matar todas as vezes necessárias

the outsiders - REM


a

sei de uma pessoa que já deve estar cansada de se sentir cansada,
como quem sente a solidão de estar sempre a fugir dos outros.

ressentimentos

voltar a visitar o único sítio onde não guardei ressentimento. ressentimento do tempo perdido com aquela mulher. vou voltar a nova york. como não vou sozinho, vou tentar não ficar só no meio dos outros. não me parece que exista prémio para o maior fugitivo do mundo, portanto esta competição não tem grande sentido.
logo se verá, em todo o caso é sempre boa ideia voltar àquele lugar.

onde não estou

há um restaurante numa terra muito a sul no chile com fotos de jornal do allende, do vitor jara, com planisfério e com comidas de caranguejo e vinho bastante bom. de repente deu saudades de não estar por lá. longe.

limpo o cú com isso da crise, mas em boa verdade emociona-me ver a justiça numa foto

corpo livre

existe calma, paz, silêncio nos corpos dos outros, que nos são emprestados por instantes? existem corpos emprestados por instantes, só invólucros, só carne e matéria? já agora, só sexo? a alma está colada na pele e vê-se em corpos emprestados? ou está dentro de dentro do dentro e nunca se verá? nem em 100 anos a acordar ao lado?
existe corpo para lá dos sentimentos, preconceitos, amores, culpas?
suponho que é uma questão de se praticar com afinco e regularidade, é como marcar livres directos.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

it turns out wanting something doesn´t make it real


tira roubada algures, o título já não

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

só quem morreu na fogueira sabe o que é ser carvão

qualquer um que se dedicasse a coleccionar as histórias de amores e desamores que se vão ouvindo por aí dava uma espécie de santo da igreja cruzado com prémio nobel.

o escocês com 3 filhos que chega a casa e vê a mulher à porta com o vestido de noiva com que se casaram... ia a sair de casar para casar com outro gajo qualquer.

o gajo que no comboio liga à namorada com quem vive há 5 anos, diz que se sente mal, que não vai para casa. e nunca mais se viram e nunca mais falaram um com o outro.

a gaja que na semana antes do casamento arrepende-se e cancela tudo, passados uns meses casa com o director financeiro, chefe do ex-noivo.

a gaja farta de o namorado estar no estrangeiro, diz que se despede, que larga tudo e vai para lá. mas ele não quer e fim de história, parece que já vivia com outra pessoa e esqueceu-se de avisar.

o gajo que vai visitar a namorada a fazer um doutoramento noutro canto da europa. chega e no aeroporto ela diz que acabou. ele com uma semana de férias pela frente ali naquele inferno.

domingo, 1 de fevereiro de 2009

em geneve conheci uma frase que vale a pena

Arrêtez les bombes lacrymogénes
nous, nous pleurons tout-seuls

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

um ensaio em forma de peça de teatro, mas bastante profundo, sobre a similitude e a cognosciência

(ela)
- "és um génio"
(ele ligeiramente ruborizado nas faces)
- "não sou nada!"
(ela genuinamente espantada)
- "a sério?! é que são tão parecidos!"

(é altura de confessar que acho a anedota do busto do Napoleão a melhor que já se inventou, por larga vantagem)

A Atlântida ou Atlantis teria sido uma antiga ilha ou continente, cuja real existência ou localização nunca foi confirmada...

fui à wikipedia tentar descobrir mais sobre a atlântida mas a informação era escassa...

(o blog é meu, posso bem mandar recados pessoais a pessoas que se calhar nem conheço, aliás parece-me que acabei de definir um blog... recados pessoais a pessoas desconhecidas... pena ser tão cacofónico, que a ideia está lá toda)

kenny garret - vendia a minha alma ao diabo (e a tua também, e o que fosse preciso) para chegar assim a 1km dos calcanhares dele



ps. o preto com um penteado bastante ridículo é um monstro de outro calibre, miles davis obviamente

obviamente demito-o

Se Deus estivesse em campanha eleitoral por estes dias, gostava que lhe perguntassem o que é que fazia ao São Pedro se ganhasse as eleições.

cá em casa a esta hora pratica-se o sax... quem está está, quem não está estivesse

havia uma anedota mais ou menos assim... já a original era fraquinha

plagiando esse monstro da cultura do país irmão...

eu quero é que o Inverno vá para o Inferno

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

o obama e o vinho tinto provocaram uma espécie de euforia misturada com emoções fortes, foi directo ao coração


pus-me a ver a tomada de posse e engasguei-me todo com aquilo. sou um bocado maricas nestas merdas de sermos todos iguais e modernices afins. não levem a mal.

já aconteceu 2 milhões estarem num mesmo sítio a defender coisas que nem uma pessoa devia defender. mas desta vez não. fiquei com a ilusão que foi um passo bem grande, até tendo em conta o lamaçal que o anterior presidente... enfim não interessa.

passaram ali boas vibrações

c#!!&?##

acho que não nos insultamos suficientemente alto. e assim em surdina vamos acabar por ensurdecer. grita-me foda-se!

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

e prontos caiu-me o país real em cima, o que existe. não o que devia existir.

o ps já veio esclarecer que isto dos maricas casarem pode ser. agora adoptarem crianças é que nem pensar. como não há nada que sustente esta opção, a não ser o preconceito, ficamos na mesma. guiados pelo costumeiro preconceito e desconfiança do outro. do diferente. é que os muçulmanos maltratam as mulheres, e nós damos porradinha com amor. e os maricas são tolerados, mas no fundo uns desviados, enquanto nós vamos às putas mas só quando o benfica ganha. há uma razão para este preconceito todo em relação aos outros... é que nós somos melhores! (os pretos já se podem sentar nos autocarros?)

domingo, 18 de janeiro de 2009

fascínios e perplexidades e a cher quase nua no convés duma fragata


nem chega a ser vagamente erótico tal é a preocupação que me inspira o sítio onde ela se meteu naqueles preparos. fico só assustado. é um clássico com H grande, até por isso. a inocência dos anos que já passaram.

casamentos homossexuais

agarrada à discussão dos casamentos vem a questão da adopção. vão aparecer imensos especialistas em adopção nos próximos tempos...
eu que nada sei do assunto, faz-me imensa confusão impedir um homossexual de poder adoptar. não tem exactamente as mesmas capacidades para a tarefa que um hetero? se é pela ausência de macho-fêmea em casa a coisa ainda fica mais caricata, quantos miudos vivem só com a mãe? tornam-se freaks?

casamentos homossexuais

a única diferença entre mim e o andré é que eu gosto de gajas e ele de gajos. parece-me irrelevante, assunto pessoal. não vejo como possa ser possível a lei fazer a mais pequena distinção entre nós, no que quer que seja. somos exactamente iguais.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

por falar em Xutos, era eu um putito do liceu, sabia isto de cor, ia aos concertos e enfim, depois eu não cresci mas eles desapareceram

Ex Votos Live - Subtilezas Porno Populares

parabéns



Para mim esta são os XUTOS.
Ainda me lembro do Zé Leonel, não nos Xutos mas nos Ex-Votos.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

consciência de si

já quando era puto, conta quem se lembra, tinha pouca vontade de me ir deitar. passados tantos anos continuo sem vontade de abandonar os dias, parece que há sempre uma esperança de que aconteça qualquer coisa, ainda é possível. é como que dar só mais uma hipótese a este dia de fazer qualquer coisa que marque. enfim, arrasto a indolência à espera, geralmente o resultado é nulo, o que não é razão pra desistências...
outra hipótese seria um medo irracional de abandonar a consciência, naquelas horas que se perdem a dormir. uma coisa de presa e não de predador, não querer dormir pelo medo de não estar alerta.
mas enfim, prefiro a teoria optimista de um gajo estar sempre à espera do não sei quê, pela noite dentro.
boa noite

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Era afinal quase nada e tudo parecia imenso

Era uma noite apressada
depois de um dia tão lento.
Era uma rosa encarnada
aberta nesse momento.
Era uma boca fechada
sob a mordaça de um lenço.
Era afinal quase nada
e tudo parecia imenso!

isto cantado pelo Camané soa bem melhor,
enfim, para dizer que há fados que um gajo só pode gostar
inocentes, fatalistas e tudo
este chama-se noite apressada
ouço quando tenho tempo, de noite

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

diz 10 nomes de aviões... rápido!

um gajo com os anos a passar vai pensando no que fez da vida, aquilo que vale ser lembrado. os tempos bons e os outros, a nostalgia e a alegria. enfim, vê-se perante a finitude de andar a pisar o chão, e a pensar que um dia vai ser pisado por esse mesmo chão.
num pequeno salto cognitivo vai pensando numa forma de condensar a vida numa frase, no perfeito epitáfio. o resultado destas cogitações vai-se tornando evidente...

.zé.
.um gajo que fazia sopas esquisitas a horas invulgares.
(ou um gajo que fazia sopas invulgares a horas esquisitas, ninguém chegou a saber bem)
.1976-xxxx.
.
.
não é que interesse mas alterei este post, e eu era até hoje praticamente virgem na re-edição.
já agora, praticamente virgem foi uma expressão que o paulo uma vez usou, não percebi o significado mas soa bem, e não me lembro quem ela era.

já dizia o poeta que as cartas são ridículas

ainda estou para entender porque é que encontrei um molho de cartas na prateleira do frigorífico hoje. deve ter havido uma boa razão para as ter deixado lá, só não estou a ver qual é...

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

desejos para 2009

um bocado em cima mas,
onde é que se mete o requerimento para adiar 2009?
não tive tempo para gastar o ano todo,

o comboio atrasou-se, sabes como é...

2.000 anos de etc (continuação)

não se devia dizer aos gajos que Deus não existe? ou que morreu? ou que mudou-se para o deserto de Gobi? ideias precisam-se.

das pedras aos mísseis, 2000 anos de convivência

Foi lá que nasceram as grandes religiões, é o berço, é a Terra de Deus, é a Terra Santa. Em 2.000 anos todos lá foram espalhar um pouco de fé e amor. Pode-se processar o senhorio? Ou ele pode processar os inquilinos? Glória eterna, que vêm aí mais 2.000 anos de porrada.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

enquanto estava na cozinha as formigas (na sala) escreveram este post

deixa a lata do açucar aberta senão roemos os móveis todos!

(fiquei espantado, não sabia que as formigas roiam moveis)

era uma vez um tubérculo chamado maria analogia

tinha um certo pudor de dizer pudor.
no fundo como as pessoas que têm medo de dizer medo.

2008 - um balanço com embalanço

do que me lembro não posso contar
e o que não me lembro também é difícil.
no fim 2008 passou-se e nós também.
enfim, é o costume para a mesa do canto.

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

desejos para 2009

Venham mais mouras e celtas, vândalos, poetas

marquises de alumenos, romenas, ciganas, mas mais indianas

florbelas, cancelas abertas sem condomínio

rui reininho

leitor, faz de conta que isto é um sms especialmente para ti

bom coiso, quer dizer ano! gasta-lo todinho até ao último gomo!
a águia voará bem alto, vais ver!

desejos para 2009

1. que não me roubem outra vez o telemóvel
2. que desconhecidos não me voltem a levar a bicla
3. que não voltem a tentar assaltar-me a casa
4. paz no mundo e mais não sei quê

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

é urgente ver se entendo...

parece que existe uma epidemia de gripe... parece que as urgências estão a abarrotar por causa disso... parece que a gripe é causado por um vírus e não tem cura (não existe medicamento)... parece que as pessoas estão horas à espera para serem atendidas... por causa de uma doença para a qual não há resposta médica...
.
as perguntas
mas quem é que vai para as urgências de um hospital por causa de uma gripe?
(tirando crianças muito pequenas e velhores debilitados)
agora os médicos têm culpa de não haver cura? ou é culpa do governo?
porque é que o vírus atacou em força no dia 26/12 e não no dia 24 ou 25? é um virus muito respeitador da cristandade...
o pessoal usa as urgências como se fosse a mercearia, o chato é que alguém em estado grave pode bem entalar-se por causa desta estupidez colectiva

sábado, 27 de dezembro de 2008

eu tou no osso mas eu não me canso

definitivamente esta quadra natalícia resvalou para uma espécie de 150 horas party people, enfim, fica como homenagem ao fundador do primeiro movimento new age, nascido por estes dias faz mais de 2000 anos (só é pena aquilo em que se tornou o movimento, espero que não nos aconteça o mesmo).

2008

foto:AP

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

ironia em letras pequenas

Muito prático, bastante produtivo, com resultados, com coisas palpáveis.
Que pedalada! Que rentabilidade!
Hoje estou possuído pelo demónio dos tempos modernos.
A vertigem da velocidade e do ritmo e do sucesso e da mais-valia e do lucro e da eficácia e da competição e etc.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

à esquina

há bocado, ali na esquina da João Crisóstomo com a 5 de Outubro vi o kafka, achei estranho porque não sabia que ele tinha vindo morar para Lisboa, sobretudo porque vivia em Praga (salvo erro) e estava morto (salvo erro) até há pouco tempo. Enfim, o facto é que me cruzei com ele na rua. Foi uma cena Kafkiana, no meu entender.

falar sozinho com um monstro chamado eu

definitivamente não aprecio quando me deixas a falar sozinho. logo quando estou cheio de razão, salta pelos olhos dentro, com argumentos infalíveis e retórica imbatível, deleitado com a conclusão que as minhas palavras poderiam ter, fico a falar sozinho!
quer dizer, não me importo de falar sozinho, até aprecio falar sozinho, mas só se estiveres a ouvir porra!
a falar sozinho só comigo é que não. e não me digas que sou uma espécie de monstro egocêntrico, aliás não digas nada, ouve só. é que tenho coisas fantásticas para dizer. espera só que acabe a estupidez que está à superfície, deve passar num instante (aí uns 30.000 anos)

com quatro pedras de gelo sff, obrigado

a minha relação com o gin tónico ultimamente esfriou

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Porque é Natal, tempo de amor, harmonia e outros bons sentimentos (menos para os maricas claro)

PROPOSTA APRESENTADA NA ONU POR 66 PAÍSES
Article 1.
All human beings are born free and equal in dignity and rights. They are endowed with reason and conscience and should act towards one another in a spirit of brotherhood.
Article 2.
Everyone is entitled to all the rights and freedoms set forth in this Declaration, without distinction of any kind, such as race, colour, sex, language, religion, political or other opinion, national or social origin, property, birth or other status.
Article 3.
Everyone has the right to life, liberty and security of person.
Article 12.
No one shall be subjected to arbitrary interference with his privacy, family, home or correspondence, nor to attacks upon his honour and reputation. Everyone has the right to the protection of the law against such interference or attacks.
Considering
The International Covenant on Civil and Political Rights (adopted by General Assembly resolution 2200A (XXI) of 16 December 1966, entry into force 23 March 1976)
Article 17
1. No one shall be subjected to arbitrary or unlawful interference with his privacy, family, home or correspondence, nor to unlawful attacks on his honour and reputation.
2. Everyone has the right to the protection of the law against such interference or attacks.

POSIÇÃO DO VATICANO EM RELAÇÃO À PROPOSTA
"Apesar de manifestar o seu apoio no repúdio contra a violência e a discriminação penal em relação aos homossexuais, a Santa Sé explica que não subscreve o apelo porque inclui categorias como “orientação sexual” e “identidade de género” que “não encontram reconhecimento ou uma definição comum na lei internacional”.
Para a Santa Sé, se estes conceitos “fossem tomados em consideração na proclamação e implementação de direitos fundamentais, criariam uma séria incerteza jurídica e minariam também a capacidade dos Estado de aderirem ou reforçarem convenções e práticas sobre direitos humanos, novas ou já existentes”." - ecclesia

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

parece soar bem, mas no fundo talvez seja piroso

ainda não te conheci e já estou com saudades tuas

um gajo perde qualidades à velocidade dos dias a passar

com este novo blog nunca recebi hate-mail. não deve ser bom.

porque é que no supermercado da minha rua não se vendem livros de auto-ajuda?!

a minha vida é uma merda e a culpa é do comércio local

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

sociologia por cabo

após um intensa observação do comportamento da espécie é evidente que desde que apareceram as séries da fox as pessoas conseguiram:

substituir com sucesso relações com outras, pelos fantásticos enredos e episódios, arranjando uma companhia bastante simpática e muito em conta

substituir uma relação existente por outra muito mais interessante (fantásticos enredos e etc) sem o incómodo de ter de acabar com a relação anterior com os subsequentes problemas económicos, emocionais e etc

a sociologia é mais fácil que fazer sopa quando existe a fox!

domingo, 14 de dezembro de 2008

foder de uma certa maneira

a reler o texto aqui debaixo onde aparece uma expressão redentora "foder de outra maneira", fica a ideia de ditar umas palavras sobre.
mas de repente só me lembro da música dos REM, This one goes out to the one I love/This one goes out to the one I’ve left behind/A simple prop to occupy my time/This one goes out to the one I love.
são cascatas de ideias difusas atropeladas pelo peso de frases fortes. estou aliás quase seguro que continuando vamos chegar a algum lado, em jeito de crónica, mas sem a batota de apagar e refazer. ou então fica por aqui, fica a tentiva. como se pegar numa frase genial "foder de outra maneira" fosse garantia de continuação. fim.

Transa Atlântica, de Mónica Marques

«Um homem é um homem, nunca fala de coisas como traições, noites mal dormidas, desconfianças – limita-se a abrir a janela e a fumar um baseado, a foder de outra maneira, mais silencioso, vivendo por dentro a alegria da criação. Fica sozinho. Um homem a sério fica sozinho e não chora. Fica amargo, fecha os olhos e espera que passe como passam os aviões da ponte aérea Rio-São Paulo, a linha do horizonte sobre as ilhas, a neblina sobre a Gávea, a suspeita sobre a próxima traição. Espera, um homem espera como espera que desça a espuma no copo de chope, que termine a música na pista de dança, que as nuvens de mosquitos se afastem do caminho no meio da Praça Antero de Quental, que a mulher regresse a casa, isso é um homem a sério, um homem com os seus segredos.»


(não li mas vou ler)

work in progress e a fúria consumista

sax. catálogo fantástico com montes deles. belos. belíssimos. caríssimos. porca miséria. fuck christmas. qualquer dia.
já quase não me desagrada alguns tons que aqui vou fazendo.

clima assentimental

está demasiado frio em lisboa, demasiado frio para até para sentir qualquer coisa.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Fuck Sundays - um dia na vida duma espécie de mujahedin - reloaded

13h30
Ao terceiro telefonema lá acordo e atendo. Almoço de família em casa dos meus avós, é melhor despachar-me.

13h35
Pequeno almoço é tudo o que estava á vista, arroz de pato, pasteis de nata e coca-cola, a cabeça ameaça implodir, o chão da cozinha cola-se à planta dos pés, está frio.

15h00
Lá consigo chegar, fui o último mas por pouco, os outros também estavam com ar de ressaca, ambiente domingueiro no estilo subúrbio de uma cidade a sério, uma coisa verdadeiramente cosmopolita. A minha avò pela segunda vez consecutiva não pergunta pela Cristina, a cena parece resolvida, ao menos na cabeça de dela. Em rigor não pergunta por ninguém, está lá no seu mundo de referências cruzadas chamemos-lhe assim, uma forma de alienação que tem a desvantagem de não ser voluntária.

18h00
A caminho de Lisboa o Porto mete um golo ao Setúbal... o dia está a começar a acabar mal. A digestão do pequeno-almoço está a provocar trânsito antes de chegar a Vila Franca, com o almoço logo em seguida a fazer máximos e a chamar nomes.

18h30
Sax alto, escalas, arpejos e improviso. No fundo uma forma sensível de conquistar um lugar no céu (para os meus vizinhos).

20h00
Jantar e um cinema...O gajo diz
I´m the coolest motherfucker who ever lived.

Fuck mondays

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

dia santo, dia de apreciar lésbicas com bom grunge

Whats up with what's going down
In every city, in every town

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

mind the gap between...

nunca mais é assim tanto tempo de intervalo para um gajo se deixar envolver digamos que sentimentalmente?
dá uma verdadeira sede de fugir, ainda dá essa sede.

a lida da casa

o jardineiro que há em mim (suponho que em todos nós existe um) demite-se sempre nesta altura do ano, e o que antes era vagamente um jardim fica, dia após dia, um matagal tão confuso como os estados de alma do respectivo proprietário.
é a chuva aliada à preguiça

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

I left my lingerie at the laundry now I´m studying biology topless



(Para arrumar de uma vez com o assunto, nem no dia do Julgamento me convencem que o KID A é melhor que o OK COMPUTER)

violência

só bati uma vez numa pessoa, foi o Quim e devia pesar mais 30 kg que eu. o meu statement é simples, quem bate ou bateu em alguém mais fraco e sem meios de defesa é uma merda de gente que não merece o ar que respira. em todo o caso, e sem mais confissões, assinem esta petição (já que um gajo não pode dar as merecidas castanhadas a esses/essas merdas de gente covarde que se deleitam em martirizar quem lhes tem se calhar amor).


http://www.petitiononline.com/UMAR/petition.html

“EU NÃO SOU CÚMPLICE”
2008 tem sido um ano negro da violência doméstica em Portugal. Homicídios e tentativas de homicídio ultrapassam os números dos últimos 5 anos. Apesar de toda a consciencialização social, os dados apontam para um agravamento do problema. Urge, pois, enfrentá-lo com respostas mais eficazes. Neste sentido, a UMAR lança agora uma campanha dirigida aos homens para estes se solidarizarem com as vítimas de violência, retirarem o apoio aos agressores e se demarcarem publicamente dos seus actos. A campanha “Eu Não Sou Cúmplice” tem o objectivo de mobilizar as energias masculinas para esta batalha dos direitos humanos que está longe de estar ganha. Os homens abaixo-assinados repudiam toda e qualquer violência contra as mulheres, comprometendo-se na consciencialização e intervenção social da sociedade para a igualdade de género e promoção de uma cultura de não violência. Os homens abaixo-assinados apelam a todos os homens que não sejam cúmplices e testemunhas passivas da violência contra as mulheres.
Sincerely,

a fórmula perfeita

gosto-te relativamente bastante, em quantidades anormalmente gigantes, tendo em conta o que sou e o peso que trago nas costas e me faz leve, como se se fora morto (aquela coisa de um gajo perder x gramas no instante em que morre daria qui uma boa metáfora). e sonho contigo e desejo-te sempre, menos quando as fantasmas fazem a revisitação costumeira, mais as mães delas. e as confuões que aparecem nos sonhos - a correr nú no pátio da escola ou a mulher que já foi a minha vida a morrer num qualquer acidente. é o cúmulo da idiotice ter pesadelos de acordar com coisas más a acontecer a pessoas que já não me existem, mas cada um tem o seu freud pessoal. enfim, espero e sei que és muito melhor que todas as pessoas que aqui passaram e que me lixaram a existência, ou ao contrário, eu lixei a delas. enfim, tudo isto é honesto e funesto e não te merecendo só queria dizer, fica por aqui mais um bocadinho até que a febre de ser assim passe à custa do teu suor.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Natal, o tempo da esperança

hoje a passar no Terreiro do Paço vi duas bolas da tmn já rebentadas, um bom augúrio. (parabéns ao gajo que as rebentou)
só faltam as outras 500.000 merdas natalícias carregadas de publicidade.
e de caminho botar abaixo a árvore do bcp, perdão, de natal.

quanto aos pais natais pendurados nas janelas e varandas, não dá para pôr um bocado de groselha a escorrer, como se estivesse a sair pela jugular do gajo? ficava catita eu acho.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

foda-se isto acaba por ser quase só posts em estilo confessional

os tempos de crise de facto fazem vir ao de cima o melhor dos homens...

os europeus ricos que não quiseram contribuir para a europa e o euro (por exemplo islândia) agora estão nas lonas... já querem o euro, depois de falidos

os europeus antes pobres, que devem grande parte do progresso à europa e ao euro (por exemplo irlanda), agora são maioritariamente contra a europa, que já quase não lhes dá dinheiro por serem ... ricos

plano de trabalho

estou quase a pirar-me outra vez para outro sítio... afinal já ando há um monte de dias no buliço.
aqui a ambição gasta-se toda nos tempos livres.
se nunca chegar a lado nenhum na carreira não tem mal, que já fui a todo o lado entretanto.

teologia útil

Go to Heaven for the climate, Hell for the company.
(Mark Twain)

gajas e perguntas

as mulheres altas acordam mais vezes com os pés de fora. certo?

terça-feira, 18 de novembro de 2008

no sofá


you'll never know if you don't go
you'll never know if you don't go
you'll never know if you don't go
you'll never know if you don't go
you'll never know if you don't go
you'll never know if you don't go
you'll never know if you don't go
you'll never know if you don't go
you'll never know if you don't go
you'll never know if you don't go
you'll never know if you don't goyou'll never know if you don't goyou'll never know if you don't goyou'll never know if you don't goyou'll never know if you don't goyou'll never know if you don't goyou'll never know if you don't goyou'll never know if you don't go

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

imagem de si


quando não te estás a ver ao espelho és mais bonito/a ou mais feio/a? não sei que medida isso dá do que somos por dentro, mas a ideia interior da nossa imagem exterior é, como todas as ideias, geralmente falsa. aposto que alguém já deve ter estudado isto, só racionalizei o assunto a olhar para um retrato da Frida um dia destes
enfim... pensamentos preguiçosamente vagos e não explorados. é a imagem que tenho de mim.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

para que conste

punta arenas.chile

o fim do mundo é assim. os falsos profetas vão ter de descobrir outros demónios, este não assusta

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

de volta #1


... pronto para voltar à guerra do lufa-lufa, aquela que se perde todos os dias

domingo, 12 de outubro de 2008

did you missed me?

vou estar umas semanas por fora, a somar às semanas em que estava aqui mas ausente. na verdade, a teoria de que se deve teclar qualquer coisa, mesmo sem nada para dizer, não tem resistido à prova da realidade.
na vida vai-se preserverando, afinal a alternativa não parece melhor.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

geração A a Z

pouco depois de ter nascido, os meus pais puseram-me num infantário, era novinho em folha, fui inaugurá-lo com a teresa, erámos os dois primeiros putos daquele sítio. não sei quem é a teresa, não a conheço sequer, já passaram uns anos.

um amigo dos meus pais (com a mesma idade deles, chamemos-lhe João), com um bom emprego na administração num banco, esteve quase a patinar com um cancro, reformou-se devido à doença e agora ajuda o filho lá na empresa de instalação de ares condicionados.

o joão e a teresa vivem juntos e vão ter um filho por estes dias.

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

ouve lá isto, feromona, bom pa caralho

há psicoterapia nas urgências do Santa Maria?

reparei que aqui uns posts em baixo estava escrito...

...aqueles a quem amorosamente sentimos irmãos antes de esfaquear pelas costas?

(favor reparar que o título do post tem uma rima sem forçar, um maneirismo bastante catita no meu entender)

de volta ao ingenioso hidalgo Don Quixote de La Mancha a ver se é desta que acabo

"ou pior ainda, tornar-se poeta, que é doença incurável e contagiosa, segundo dizem"

às vezes é assim

first you take a heart then you tear it apart. first you take a heart then you tear it apart. first you take a heart then you tear it apart. first you take a heart then you tear it apart. first you take a heart then you tear it apart. first you take a heart then you tear it apart. first you take a heart then you tear it apart. first you take a heart then you tear it apart.
and i shall turn your eyes into tears. bitch.

nao sei quem escreveu isto, não consigo dar os créditos...

terça-feira, 19 de agosto de 2008

efectivamente a fase azul era cubista

parece que por momentos passou a fase delico-doce levemente romântico-desiludida e passámos à maturidade. sendo esta última um estádio por completo desconhecido, alvitra-se que será ainda mais merdosa que a dita fase anterior. entra-se alegremente na fase do absoluto desinteresse por tudo o que seja belo, nem ao de leve.

ou então tudo ao contrário.

todo um programa político...

...seria uma caralhada em cada post

ou por outro lado
será que vai este sofrível blog caminhar para a anarquia... uma espécie de alter-ego super-heróico mas bastante urbano de sentimento de si? ou pelo contrário será reflexo de totalitarismos que todos sentimos por nos usarmos como justa medida ao ver o que fazem os outros, aqueles a quem amorosamente sentimos irmãos antes de esfaquear pelas costas?

fica a dúvida

"é consequência do teu mau comportamento"

há uns tempos decidi só ler clássicos
um desporto com um crescente número de adeptos...
consequência lógica é que quase não leio um caralho desde então
também este um desporto com um crescente número de adeptos

tudo isto para deixar aqui um pensamento de nível...
se tirar a mesa que tenho no escritório e puser lá um sofá
fico com uma BIBLIOTECA!
quem é que tem uma biblioteca aos 32 quem?

já agora, o título do post é roubado ao "bisturi" dos "feronoma" que vai assim,

bisturi, pedação de algodão doce
um bisturi que eu seguro como se ele fosse
só pra ti
pra que mordas sem que eu sinta remorsos
desse sangue que essa boca espalha
pelo chão da sala em teu redor

podia continuar a ligar semi-pensamentos desconexos não podia?
vou só citar o borges então...
"A minha vaidade e a minha nostalgia montaram uma cena impossível"

acho que ficou/fiquei claro

cut copy

de volta duma semana em que de forma improvável voltei aos 16

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

pedalar para sul

pegar na bicicleta, saldanha, fontes pereira de melo, av liberdade, cais sodré, barco para a trafaria, costa, ... sesimbra, setubal, dormir. barco para tróia, comporta, alcacer, grandola, sines, dormir. agora estirada a sério, sines, odemira, aljezur lagos.
há tanto tempo que penso fazer esta merda pá! já chateia...

domingo, 3 de agosto de 2008

o nível de vida dos filandeses realmente não interessa nada

medindo no google earth, desde o lado sul do estuário do sado até ao norte de sines temos 63 km de praia, uma só praia

sábado, 2 de agosto de 2008

shoot me between the eyes sff

contaram-me uma cena incrível... que existem imensos blogs de gajas desocupadas que só tomam conta dos filhos e criam uns sites onde descrevem a cena toda... desde a hora em que os putos berram até à cor da merda, passando por úteis conselhos e divagações de longo alcance sobre os pequenos seres. os putos não deviam ter direito à privacidade nas suas actividades? se não têm direito... então sugiro que esperem aí pelos 16 anos antes de fazer os blogs, teria muito mais interesse!

infelizmente não tive estomago para procurar estes tesouros, há demências com muito mais interesse

provérbio inexistente

ninguém conhece realmente a estupidez até ficar constipado no verão

quinta-feira, 31 de julho de 2008

do mais puro oiro

fiz uma ecografia ao coração
o som é assim como o esgoto nos prédios velhos

sou um saudosista de merda e adoro homenagens a gajos à séria

desabafo...
um dia inteiro a ouvir Monsieur Gainsbourg Revisited e I am your Fan dão nisto

quarta-feira, 30 de julho de 2008

desobediência civil!

«qualquer gesto que possa ser interpretado como uma "situação mais íntima" nas praias algarvias está proibido, por ordem do Comando Marítimo do Sul» in Publico

Enfim, não sabia que havia um Comando Marítimo do Sul a proteger a pátria do inimigo, mas fiquei muito mais descansado... e não havendo guerra têm de se entreter em tempos de paz

"I Wanna Have Sex On The Beach
Come On Move Your Body
Sex On The Beach
I Wanna Have Sex On The Beach
Come On There's A Party
Sex On The Beach"
Vengaboys

quarta-feira, 23 de julho de 2008

maravilhas do ponto de vista do idiota


após um processo de eliminação e cabeçadas na parede cheguei ao fim da short list das maravilhas criadas pela espécie humana, a saber, e por esta ordem:

1 - princípio de arquimedes
2 - o filme dos monty pithon "international philosophy"
3 - a lata de atum


o primeiro porque envolve o banho (outra saudável descoberta) e tem um postulado verdadeiramente catita, mas estive quase para pôr a navegação à bolina.

o segundo simplesmente porque ainda ninguém se aproximou menos que um oceano desta descrição histórica dos períodos iluminados da dita espécie, e é de ir às lágrimas, e tem golos

o terceiro, que no fundo é o primeiro não precisa de explicações, digamos que das 3 é a única descoberta com valor moral per si, um redenção colectiva e uma afirmação de optimismo

a terapia não corre para o mar?

na margem, antes a vontade era atirar-me para o rio.
agora apetece que o rio se atire a mim.
o doutor diz que já identificou o problema, estou a tornar-me indolente.
está completamente enganado, naturalmente não entende nada de hidrologia.

antropologia e mamas

se recuarmos menos de um século, o ideal de beleza era ter uma pela branca, de porcelana. a razão era simples, associava-se a pele queimada pelo sol ao trabalho no campo.

também os corpos magros não eram associados a beleza, eram associados à fome. um corpo belo era gordinho, bem alimentado.

a procura de um ser do sexo oposto é guiada por coisas tão simples como assegurar boas condições para as crias...

com a explosão do trabalho terciário, a pele queimada ficou associada às férias, a boas condições de vida.

também os corpos gordos deixaram de ser belos, passaram a ser corpos de pessoas que não fazem exercício físico, que não têm condições de vida para fazer desporto.

e como a procura de um ser do sexo oposto é guiada por coisas tão simples como assegurar boas condições para as crias, o bronzeado e os corpos magros passaram a ficar associado à beleza.

o raciocínio é algo redutor mas verdadeiro acho.

ia eu continuar com a associação dos conceitos de beleza à procura do bom gene para acasalar quando... nos países do primeiro mundo pais oferecem às filhas mamas de silicone nos aniversários. e aí a antropologia de amador já não chega...

Laugh so loud you break your fall

Há coisas mais ou menos simples que arrepiam todos os pêlos do corpo e ainda mais fundo... o concerto de James em Gaia, com o Douro ali ao lado, foi uma revisitação do caralho!
ao tempo em que não eramos felizes, mas visto de longe até parece que eramos

">

segunda-feira, 21 de julho de 2008

em memória

a última vez que saiu de casa, antes de morrer, foi para comprar uma prenda de anos ao neto
foi há mais de 31 anos, não nos conheceu, eu não me lembro
mas todos os dias, desde há 31 anos, há alguém que se lembra dela

o amor é fodido, felizmente é raro

quinta-feira, 26 de junho de 2008

ciências exactas

"mas se sentir alguma coisa dirija-se às urgências de um hospital."

só faltou dizer... esteja descansado que cá não fica, um dia há-de baldar-se como todos os outros...

é como se o piloto do avião dissesse - esteja descansado que cá em cima não ficamos de certeza...

working class anti-herói

quase meia-noite, um gajo a trabalhar, de repente lembra-se de alguém que está perto e também a trabalhar e só apetece ir e dizer... larga tudo! vamos fazer a revolução! vamos ser feliz hoje aqui e agora!
mas obviamente a luta vai ser adiada.

never walk over the keyboard

motivos técnicos impedem de escrever a partir do sofá, o único sítio onde apetece, enquanto não se resolve, uma prova de vida... chelsea hotel do cohen cantado pelo cole

terça-feira, 20 de maio de 2008

one



em 5 bilioes há 2 e só 2 pessoas que preferia
nunca mais ter a má sorte de voltar a pôr a vista em cima.
a frase pode parecer pouco zen mas enfim... quem se pode gabar do mesmo?

av 5 de outubro

vi um tipo sentado ao lado do papelão. tinha tirado um livro lá de dentro e estava a ler. não sei que livro era. façam o que quiserem desta informação. fico-me por aqui.

(alguém já pensou que a 5 de outubro é paralela à av. república? perdoe-se a redundância pela importância do acontecimento)

crise do petróleo

para um gajo que anda de bicicleta como eu, importante mesmo é saber quem vai ser o próximo treinador do glorioso. isso do petróleo enfim...
mas que vai ser campeão, isso é certo! até me emociono por antecipação! niguém me pára o benfica no coração, nem a crise do petróleo.

genial pá

"Maior produção de cereais e de leite é estratégia para conter subida dos preços dos alimentos "
no Público

e se os cientistas e teóricos da Comissão Europeia deixassem a malta dos açores produzir o leite que quisessem... e os não sei de onde o não sei quê que quisessem?
em vez de andar a pagar uma pipa pelo leite no supermercado, mais uma pipa em impostos/subsídios...

enfim... o mercado não pode andar assim à balda, os iluminados saberão melhor governar as gentes... e ainda há o idílico mundo rural e mais não sei o quê...

quinta-feira, 15 de maio de 2008

todos temos os nossos heróis


Vuelvo al Sur,
como se vuelve siempre al amor,
vuelvo a vos,
con mi deseo, con mi temor.

Llevo el Sur,
como un destino del corazon,
soy del Sur,
como los aires del bandoneon.

Sueño el Sur,
inmensa luna, cielo al reves,
busco el Sur,
el tiempo abierto, y su despues.

Quiero al Sur,
su buena gente, su dignidad,
siento el Sur,
como tu cuerpo en la intimidad.

Te quiero Sur,
Sur, te quiero.

Vuelvo al Sur,
como se vuelve siempre al amor,
vuelvo a vos,
con mi deseo, con mi temor

faças o que fizeres vai sempre para sul, não sei a tua latitude mas para sul é sempre melhor

discrimine-se mas com cristãos sentimentos

a ler o jornal aprende-se imenso... os candidatos (alguns) do psd são a favor dos homossexuais poderem ter um "contrato" igual ao casamento, mas que não se chame casamento... porque o nome não é importante. importante é terem os mesmos direitos.
eu cá fiquei esclarecido...
ide legislar mas é pó caralho! tão liberais que eles são!

segunda-feira, 12 de maio de 2008

a felicidade é um lugar comum

os períodos da vida mais calmos
resultam em tédio mais ou menos confortável

os períodos da vida mais agitados
resultam em sofrimento mais ou menos confortável

sempre algures entre desiludir ou ser desiludido

ia fazer um post sobre fátima mas...



... enfim, não vale a pena.

só dizer que me chateia os 3 segredos não terem ficado... segredos.
foi uma eclesiástica argolada. ide ler os textos e perceberão o que digo.

entretanto frank zappa,
uma associação de ideias demasiado óbvia pra se explicar

domingo, 11 de maio de 2008

ornitorrinco

a conversar pachorrentamente com uma gaja, e ela a falar desse primeiro amor, dos sintomas, de arder por dentro e das vertigens e dos suores e das febres. eu a concordar com tudo, menos com... o segundo e o terceiro e todos os outros foram iguais.
devo ser uma espécie de ornitorrinco.

segunda-feira, 5 de maio de 2008

um lugar pequeno

de repente só me lembrava de uma pessoa
que gostava de ver assim que abrisse os olhos de manhã
afinal o Mundo era pequeno, com pouca gente
ou haveria mais Mundo?

terça-feira, 29 de abril de 2008

punk is not dead

que é que um gajo faz quando sai do escritório pela meia noite e tem uma reunião no dia seguinte às 9 da manhã?
demasiado fácil não é?
vai a um concerto de tributo aos the clash, evidentemente!
daqui a bocado quando chegar muito atrasado, vão entender. é que os the clash são um contributo importante para as partes boas do que somos hoje.

segunda-feira, 28 de abril de 2008

ganda spot

às vezes a olhar para o que me acontece, e o que leio nos jornais e blogs que nos vai acontecendo, e o mundo em geral e etc. chego à conclusão que isto é tudo muito fixe, uma grande sítio e um grande tempo para ocupar o tempo que é a vida. bastante interessante isto pá! não trocava!

domingo, 27 de abril de 2008

25 Abril para sempre

Quando estive em Cabo Verde visitei o campo do Tarrafal, aconselho a quem queira ver a monstruosidade que aquilo era, Para ser uma barbárie não era preciso sequer ter lá morrido um, mas foram mais. Deixo aqui os nomes em jeito de homenagem...

Francisco José Pereira: Marinheiro, 28 anos (Lisboa, 1909 - Tarrafal 20 de Setembro de 1937)
Pedro de Matos Filipe: Descarregador, 32 anos (Almada, 19 de Junho de 1905 - Tarrafal, 20 de Setembro de 1937)
Francisco Domingues Quintas: Industrial, 48 anos (Grijó, Porto, Abril de 1889 - Tarrafal, 22 de Setembro de 1937)
Rafael Tobias Pinto da Silva: Relojoeiro, 26 anos (Lisboa, 1911 - Tarrafal 22 de Setembro de 1937)
Augusto Costa: Operário vidreiro (Leiria, ? - Tarrafal, 22 de Setembro de 1937)
Cândido Alves Barja: Marinheiro, 27 anos (Castro Verde, Abril de 1910 - Tarrafal, 29 (24?) de Setembro de 1937)
Abílio Augusto Belchior: Marmorista, 40 anos (?, 1897 - Tarrafal, 29 de Outubro de 1937)
Francisco do Nascimento Esteves: Torneiro mecânico, 24 anos (Lisboa, 1914 - Tarrafal, 21 (29?) de Janeiro de 1938)
Arnaldo Simões Januário: Barbeiro, 41 anos (Coimbra, 1897 - Tarrafal, 27 de Março de 1938)
Alfredo Caldeira: Pintor decorador, 30 anos (Lisboa, 1908 - Tarrafal, 1 de Dezembro de 1938)
Fernando Alcobia: Vendedor de jornais, 24 anos (Lisboa, 1915 - Tarrafal, 19 de Dezembro de 1939)
Jaime da Fonseca e Sousa: Impressor, 38 anos (Tondela, 1902 - Tarrafal, 7 de Julho de 1940)
Albino António de Oliveira Coelho: Motorista, 43 anos (?, 1897 - Tarrafal, 11 de Agosto de 1940)
Mário dos Santos Castelhano: Empregado de escritório, 44 anos (Lisboa, Maio de 1896 - Tarrafal, 12 de Outubro de 1936)
Jacinto de Melo Faria Vilaça: Marinheiro, 26 anos (?, Maio de 1914 - Tarrafal, 3 de Janeiro de 1941)
Casimiro Júlio Ferreira: Funileiro, 32 anos (Lisboa, 4 de Fevereiro de 1909 - Tarrafal, 24 de Setembro de 1941)
Albino António de Oliveira de Carvalho: Comerciante, 57 anos (Póvoa do Lanhoso, 1884 - Tarrafal, 22 (23?) de Outubro de 1941)
António Guedes de Oliveira e Silva: Motorista, 40 anos (Vila Nova de Gaia, 1 de Maio de 1901 - Tarrafal, 3 de Novembro de 1941)
Ernesto José Ribeiro: Padeiro ou servente de pedreiro, 30 anos (Lisboa, Março de 1911 - Tarrafal, 8 de Dezembro de 1941)
João Lopes Dinis: Canteiro, 37 anos (Sintra, 1904 - Tarrafal, 12 de Dezembro de 1941)
Henrique Vale Domingues Fernandes: Marinheiro, 28 anos (?, Agosto de 1913 - Tarrafal, 7 de Janeiro (Julho?) de 1942)
Bento António Gonçalves; Torneiro mecânico, 40 anos (Fiães do Rio (Montalegre), 2 de Março de 1902 - Tarrafal, 11 de Setembro de 1942)
Damásio Martins Pereira: Operário (? - Tarrafal, 11 de Novembro de 1942)
António de Jesus Branco: Descarregador, 36 anos (Carregosa, 25 de Dezembro de 1906 - Tarrafal, 28 de Dezembro de 1942)
Paulo José Dias: Fogueiro marítimo, 39 anos (Lisboa, 24 de Janeiro de 1904 - Tarrafal, 13 de Janeiro de 1943)
Joaquim Montes: Operário corticeiro, 30 anos (Almada, 11 de Setembro de 1912 - Tarrafal, 14 de Fevereiro de 1943)
Manuel Alves dos Reis (? - Tarrafal, 11 de Junho de 1943)
Francisco Nascimento Gomes: Condutor, 34 anos (Vila Nova de Foz Côa, 28 de Agosto de 1909 - Tarrafal, 15 de Novembro de 1943)
Edmundo Gonçalves: 44 anos (Lisboa, Fevereiro de 1900 - Tarrafal, 13 de Junho de 1944)
Manuel Augusto da Costa: Pedreiro (? - Tarrafal, 3 de Junho de 1945)
Joaquim Marreiros: Marinheiro, 38 anos (Lagos, 1910 - Tarrafal, 3 de Novembro de 1948)
António Guerra: Empregado de comércio, 35 anos (Marinha Grande, 23 de Junho de 1913 - Tarrafal, 28 de Dezembro de 1948)

uns liberais da treta

Nos últimos meses o preço dos bens alimentares tem sofrido sucessivos aumentos, a escalada promete continuar. vários sítios do mundo, que conheciam a pobreza agora voltam a conhecer a fome. dos inquéritos que tenho visto sobre a coisa a maioria das respostas são inacreditáveis, pede-se a intervenção do governo, a fixação de preços, o controle enfim...
Só que no meio disto... existem quotas de produção na Europa e na América, existem subsídios para plantar, para queimar, para colher, para etc, na Europa e na América. Um país pobre em África não consegue sequer produzir alimentos ao preço dos produzidos na... Holanda! Andamos com os nossos impostos a subsidiar uma coisa fascinante... a ineficiência da economia agrícola.
Nós pagamos o trigo 2 vezes (no pão e nos impostos) nos países pobres passam fome porque não o conseguem produzir ao preço do trigo subsidiado.
E se deixássemos de armar em Estalines da agricultura e experimentássemos deixar a coisa funcionar? Se com outras coisas resultou...

É Abril, cheira a liberdade

Conchita Morales
Viu los federales
Garbosos e não resistiu
Mandou todos à puta que os pariu
Anda Conchita
Carita bonita
Dá-me a tua mão
Viva a revolução
xutos

incomoda-te o cravo? é só uma flor...

terça-feira, 22 de abril de 2008

nazismo, toxicodependências, materialismo

Bento XVI evocou hoje a sua própria juventude quando, no âmbito da sua visita aos Estados Unidos, perante 30 mil jovens, se referiu ao nazismo como uma droga que, tal como a toxicodependência e o materialismo de hoje, é preciso repudiar (jornal Público)

aguarda-se as próximas analogias: escravatura-futebol-poluição, ou algo de género... ou qualquer coisa com homossexuais, não sei...
irrita quando a moralzinha destrói o essencial que se chama ética

manifesto meio futil meio bulímico

faz-me uma confusão do caralho aquelas gajas relativamente gordas a pequeno-almoçar folhados e cremes logo pela manhã. começar o dia a ver pessoas a enfardarem-se de forma inglória bule com o meu sentido estético. há formas sublimes de uma gaja se corroer, pela gula e pela bilha é que não. com nível sff. não conhecem o alcóol? outras drogas? o açúcar?!?!
(o mesmo para os gajos)

domingo, 20 de abril de 2008

TRÊS TRISTES TIGRES - O mundo a meus pés


o mundo a meus pés...
um semi-sol a espreitar-nos dos dias próximos
só para dizer que com a idade vou-me reconciliando devagar com os domingos

quarta-feira, 16 de abril de 2008

5ª lei da termodinâmica

os mind games e os jogos de dá e tira rebentam sempre nas mãos.
acho giro, acho bem, acho que devias vestir umas luvas

lusofonia não, é praia mesmo



à bolina atravessaram o Oceano e chegaram ao Brasil...
porque é que o avô do meu trisavô ficou especado a vê-los ir?
velho razinza! vê-se logo que era português.